Skip to main content

 

Se você chegou até aqui, é provável que tenha um problema com o defeito no câmbio powershift em um veículo da Ford. 

Sabemos que o carro é um bem muito especial para o brasileiro, tanto que para comprá-lo muitas pessoas assumem compromisso com financiamento por muitos anos

Portanto, o defeito no câmbio powershift representa transtornos financeiros e emocionais para quem enfrenta esse problema no seu meio de transporte. 

Além disso, o defeito no câmbio powershift pode provocar colisões ou acidentes fatais, colocando em risco a vida das pessoas no trânsito.

O pior de tudo é que a Ford muitas vezes tem fugido da responsabilidade de arrumar esse problema, obrigando o consumidor a buscar uma solução judicial.

Por isso, o objetivo deste artigo é explicar de maneira simples o que você pode fazer para resolver juridicamente esta situação, inclusive mostrando o que aconteceu em alguns casos já julgados. 

Então, continue lendo pois te garantimos que esse conteúdo você não vai encontrar em nenhum outro site ou blog na internet.

O que é câmbio powershift

O câmbio powershift é um sistema de transmissão automatizada desenvolvido pela Ford, que vem apresentando defeitos e consequentemente trazendo prejuízos financeiros, emocionais e riscos às vidas dos consumidores, devido a um defeito de fabricação. 

Qual é o defeito de fabricação no câmbio powershift?

Os problemas relacionados ao câmbio automatizado Powershift decorrem de um defeito de fabricação no módulo TCM.

Essa peça é uma espécie de “cérebro” do sistema de câmbio, de modo que eventual desacerto técnico nela presente compromete todo o sistema, impossibilitando que movimentos simples sejam completados, tais como “dar a partida” e “trocar marchas”. 

Esse defeito provoca vazamento nos retentores do eixo de entrada do veículo, levando a contaminação da embreagem pelo fluído de transmissão

Esse vazamento acaba contaminando os demais componentes do câmbio, o que pode travar e impedir o veículo de se locomover, além do comprometimento de outras peças, fazendo com que elas percam a sua utilidade muito mais cedo do que se espera em relação à sua vida útil. 

Os principais sinais de alerta do defeito no câmbio powershift são:

  • Ruídos no câmbio.
  • Trepidação.
  • Superaquecimento do sistema de transmissão.
  • Falha na troca de marcha.
  • Alto consumo de combustível.
  • Troca prematura ou tardia de marcha.
  • Perda de torque e potência.

A partir desses indicativos, o problema progride até o ponto do veículo ficar inutilizado.  

Como a Ford tem tratado o defeito do câmbio powershift

É natural que, ao perceber uma ou mais anormalidades no veículo, o consumidor procure a concessionária ou a própria Ford, pedindo o conserto do carro.

Por aqui, temos notícia de alguns consumidores que conseguiram resolver o problema diretamente com a Ford.

Porém, identificamos que em alguns casos a Ford não tem resolvido o problema com o câmbio powershift e vimos em processos judiciais que os consumidores relatam duas condutas que podem ser consideradas abusivas: 

A Ford reconhece o defeito de fabricação no câmbio powershift, mas demora para resolvê-lo

Apesar de se propor a resolver o problema, a solução oferecida exige uma espera de 4 a 6 meses.

Ou seja, neste longo período você fica sem o carro e também não recebe um carro reserva da Ford. 

A Ford não reconhece o defeito de fabricação no câmbio powershift

A montadora nega a garantia, alegando que o problema decorre da utilização do veículo e não por um  vício de fabricação. 

Os problemas na vida do consumidor causados pelo defeito no câmbio powershift

Essas condutas abusivas da Ford em relação ao defeito no câmbio powershift trazem uma série de transtornos para o consumidor.  

Despesas adicionais com transporte

Por consequência, não raramente o consumidor precisa alugar um outro veículo, ou pagar corrida de aplicativos ou táxi para se deslocar durante o período que durar o conserto.

Transtornos emocionais 

Sem contar com a angústia, ansiedade e estresse emocional por se sentir lesado e sem saber ao certo qual o tamanho do prejuízo decorrente deste problema. 

Risco à vida do condutor e passageiros

Também é importante dizer que além do prejuízo financeiro e dos transtornos emocionais, mais grave do que isso, o defeito no câmbio powershift é uma ameaça à vida dos ocupantes do veículo.

Veja o relato desta consumidora feito na plataforma Reclame Aqui:

relato de acidente causado por defeito no câmbio powershift

Vamos imaginar uma situação hipotética de ultrapassagem

Se enquanto estiver realizando a manobra, o veículo perder a potência ou travar por causa ligada ao defeito no câmbio powershift, isso pode provocar uma colisão, causando acidente fatal contra a vida dos ocupantes dos veículos envolvidos.

É por isso que o defeito no câmbio powershift deve ser tratado com o rigor da lei, responsabilizando os envolvidos  a consertarem o vício e repararem todos os danos causados.

A responsabilidade da Ford pelo defeito no câmbio powershift  

Tirando o foco do problema e já direcionando para a solução, vamos refletir sobre o defeito no câmbio powershift e porquê a Ford é responsável pelos danos causados.

Vida útil do câmbio automatizado: indício de defeito de fabricação 

A vida útil de um câmbio automatizado é de aproximadamente 300 mil quilômetros rodados. 

Porém, no caso do powershift muitos veículos apresentaram defeito por volta de 50 a 70 mil quilômetros rodados. 

Ou seja, menos da metade da expectativa de utilidade do câmbio.

Veja alguns relatos reais de consumidores:

defeito no câmbio powershift relato de consumidor

defeito no câmbio powershift relato de consumidor

Essa situação revela fortes indícios de que o defeito no câmbio powershift seja de fabricação.

Extensão da garantia de fábrica para alguns veículos 

A medida tomada pela fabricante para minimizar os danos causados aos consumidores no Brasil,  foi a criação dos Programas de Satisfação do Cliente 14M02 e 16M02, estendendo a garantia de dois componentes relacionados ao câmbio powershift.

A extensão da garantia foi de 7 anos para o conjunto de embreagem da transmissão e de 10 anos para o módulo TCM.

Contudo, a ré limitou apenas alguns veículos que estão abrangidos pela garantia estendida, selecionando um rol taxativo contendo apenas alguns CHASSIS com o câmbio powershift.

No caso dos consumidores cujo veículo não esteja dentro do rol de CHASSIS selecionados pela Ford, o consumidor fica fora da cobertura da garantia estendida, mesmo se tratando de um defeito de fabricação no câmbio powershift.

Como ter certeza que o defeito no câmbio powershift é de fabricação?

Apesar das evidências, em tese, para se certificar de que o defeito no câmbio powershift é de fabricação, é preciso uma análise pericial. 

Nos casos em que o consumidor faz a solicitação de conserto na Ford, normalmente a própria fabricante apresenta um relatório técnico atestando existir ou não o defeito de fabricação.

Contudo, esse laudo nem sempre está correto, pois pode ter sido feito de acordo com os interesses da empresa.  

Portanto, você pode produzir uma prova em contrário inclusive judicialmente para responsabilizar a Ford pelo defeito no câmbio powershift. 

Vício oculto no câmbio powershift: veículo que apresenta o defeito e não foi coberto pela garantia 

Mesmo sendo um fato público e notório, a Ford não fez recall do câmbio powershift.

Deste modo, há muitos veículos da Ford com defeito de fabricação no câmbio powershift e mais cedo ou mais tarde os problemas vão aparecer. 

Mas se o defeito no câmbio powershift é de fabricação e está “escondido”, o consumidor precisa saber que o prazo para reclamar é de 90 dias a partir do conhecimento do problema.

É o que se chama de vício oculto pelo Código de Defesa do Consumidor. 

Como resolver o defeito no câmbio powershift

Como já falamos, muitos consumidores não conseguem resolver o problema do câmbio powershift diretamente com a Ford e solucionam a questão uma ação judicial protegidos pelo direito do consumidor. 

Quais são as soluções desta ação judicial 

A definição de estratégia do caso deve ser feita pelo advogado especializado em direito do consumidor que irá propor a demanda, mas mapeamos as principais soluções que podem ser alcançadas com esta ação judicial. 

Carro reserva enquanto durar o processo 

Em alguns processos, a Ford foi condenada a disponibilizar um veículo para que consumidor utilizasse enquanto durasse o processo até a resolução definitiva da questão. 

Devolução do veículo à Ford e restituição dos valores pagos ou indenização correspondente ao valor de mercado 

Há evidências de que o problema no câmbio powershift é crônico e eventual conserto não é suficiente para garantir o funcionamento adequado do componente.

Por isso, o consumidor também pode pedir que o veículo seja devolvido à Ford e, consequentemente, a restituição do valor pago na nota fiscal ou indenização corresponde ao valor do bem momento da devolução (tabela FIPE), dependendo da estratégia a ser adotada pelo advogado. 

Aliás, recentemente o STJ determinou que uma montadora devolvesse o valor pago pelo consumidor mesmo após a utilização do veículo por 4 anos

Conserto ou restituição do valor do conserto 

Se o consumidor desejar continuar com o bem, pode também optar por exigir o conserto do defeito do câmbio powershift.  

Caso tenha feito o pagamento por conta própria, o consumidor precisa pedir restituição dos valores gastos. 

Danos morais 

Em qualquer situação, o consumidor poderá ser indenizado pelos danos morais sofridos.

A ação judicial não deve ser proposta ser proposta nas pequenas causas/juizados especiais cíveis, em virtude da perícia 

A constatação do defeito pode exigir prova pericial

Portanto, a ação de indenização contra a Ford não deve ser proposta nas “pequenas causas” ou juizados especiais cíveis, que não permitem a produção deste tipo de prova mais complexa. 

Deste modo, via de regra, a ação precisa ser interposta por advogado na justiça comum. 

As custas processuais pagas inicialmente poderão ser restituídas ao final do processo, em caso de decisão favorável ao consumidor. 

Quem comprou o carro usado/seminovo também pode entrar com a ação judicial por defeito do câmbio powershift 

Esse problema não aparece imediatamente após a compra. 

Portanto, muitas vezes não é o adquirente do carro 0 km que terá de enfrentá-lo.

Mas como se trata de vício oculto que não pode ser atribuído ao desgaste comum do veículo, o adquirente de carro seminovo ou usado também tem direito de exigir juridicamente providências da Ford.  

Decisões favoráveis ao consumidor adquirente de veículo com defeito no câmbio powershift 

Sempre recomendamos uma análise detalhada do resultado de casos semelhantes, antes de entrar com uma ação judicial.

E para você também ter mais segurança, selecionamos alguns julgamentos que condenaram a Ford por defeito no câmbio powershift:

processos troca de câmbio powershift

Aliás, neste artigo também analisamos três casos em que consumidores receberam mais de 80 mil reais em indenizações, após processar a Ford. 

Recaptulando: defeito do câmbio powershift provavelmente é de fabricação e tem solução judicial 

o que você pode conseguir ao entrar com ação contra a ford câmbio powershift

Agora que você já sabe que o defeito do câmbio powershift provavelmente é de fabricação e se a Ford não resolver, você pode entrar com uma ação judicial para resolver este problema.

Nós também mostramos os principais resultados que você pode obter neste tipo de processo:

  1. carro reserva enquanto discutir o caso;
  2. devolução do veículo à Ford com restituição dos valores pagos ou indenização do valor de mercado do bem;
  3. conserto ou restituição do valor gasto com o conserto;
  4. danos morais. 

Portanto, agora, você não precisa se conformar e aceitar uma situação abusiva, pois tem as informações necessárias para entrar na justiça contra Ford por defeito no câmbio powershift

Precisa de ajuda para resolver seu problema?

Conte com a orientação dos nossos advogados especializados no assunto

defeito no câmbio powershift

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu email

Faça um comentário 10 comentários

Deixe uma resposta